ROTEIRO RELIGIOSO
  Introdução
    Bustos
    Mamarrosa
    Oiã
    Oliveira do Bairro
    Palhaça
    Troviscal
  Nota final
  Bibliografia
  Início
 


MUSEU S. PEDRO

PALHAÇA

ROTEIRO CULTURAL E
RELIGIOSO


DIOCESE DE AVEIRO

CULTURA BAIRRADINA

AUTORES DO CONCELHO DE OLIVEIRA DO BAIRRO

PLÊIADE BAIRRADINA

ARLINDO VICENTE

FORAL DE OLIVEIRA DO BAIRRO


LIGAÇÕES

 

Contacto
 

 


Igreja Paroquial

 

 

 

 

 

 

 
Fachada de Igreja Paroquial

 

 

 

 

 

 


Nª Sª da Conceição

 

 

 

 

 

 


Santo António

 

Troviscal

Apresenta-se agora mais uma das seis freguesias que constituem o Concelho de Oliveira do Bairro. Pertence ao distrito e diocese de Aveiro. Fica situada a sete quilómetros a ocidente da sede do Concelho.

Como antiga freguesia, ficava situada no termo de Recardães.

Foi um curato da apresentação do prior de Oliveira do Bairro, vindo, mais tarde, a ser um priorado independente.

Pertenceu ao Concelho de S. Lourenço do Bairro até à extinção deste, em 31/XII/1853.

A freguesia do Troviscal é actualmente constituída pelos lugares seguintes: Alagoa, Barbeito, Cabeço, Carvalha, Cruzeiro, Feiteira, Limeira, Passadouro, Porto Clérigo, Póvoa do Carreiro, Póvoa do Forno, Rua Nova, Silveirinha, Troviscal, Vale da Marinha e Val do Mouro.

Tem, por orago, S. Bartolomeu. A sua festa religiosa celebra-se em 24 de Agosto e nela se inclui também a célebre feira dos cestoscanastros ou vindimos, poceiros e cestos de aro, feitos de verga com casca e muito usados nas tarefas agrícolas da região, principalmente na altura das colheitas.

A Igreja Paroquial é, como atrás se fez crer, dedicada ao apóstolo S. Bartolomeu e é uma construção dos fins do século XVIII. Na cimeira da porta principal da entrada, tem a data gravada de 1767. No nicho central da fachada, encontra-se uma imagem do século XV, obra de pedra calcária, de cariz popular.

Como bens da igreja, podemos apontar dois, dignos de menção especial: a Cruz Processional, de prata, do século XVII, mas com arranjo posterior do Século XVIII; outro, que é a Custódia, de prata branca e dourada, que é do século XIX.

Era conhecida a Capela da Póvoa do Forno, da invocação de Santo António. Reformada em 1951, indicava na fachada uma reconstrução posterior. O povo do lugar pensou na sua demolição e na construção de um novo templo, que já está em funcionamento. Trata-se de uma romaria muito concorrida pelo povo das redondezas, com festa religiosa e profana no primeiro domingo de Maio.

Neste lugar existe também um Cruzeiro, construído em 1957, pela comissão de festas de Santo António. A parte superior é de mármore, assentando sobre um pedestal redondo, de cimento, com três degraus.

Indicamos a Capela de S. Tomé de Feiteira, cuja celebração festiva em 21 de Dezembro, atrai muita gente da região. Mas, neste templo, venera-se também a imagem de S. Tiago, cuja festa, igualmente de nomeada, se realiza em 25 e 26 de Julho. A capela apresenta, na fachada, duas datas: uma, de 1668, que se diz ser da sua construção; outra. De 1968, indicando a sua restauração, feita pelo povo do lugar e alguns amigos.

São conhecidos de 14 de Dezembro de 1831, os "Autos da revista de uma capela com a invocação de S. Tomé do lugar da Feiteira". E, de 10 de Fevereiro de 1892, os "Autos de requerimento de licença de benção da capela com invocação de S. Tomé, do lugar da Feiteira, pedidos pelos seus habitantes".

No Troviscal, perto do Cruzeiro que deu o nome ao lugar onde se encontra, existe uma capelinha particular, da invocação de Nossa senhora do Livramento, mandada construir por Adriano C. Filipe, em cumprimento da promessa da esposa, se seus filhos não fossem para a guerra (Segunda Grande Guerra).

Neste mesmo lugar, a que o velho Cruzeiro deu o seu nome, está reconstruído este monumento, mantendo somente a base da velha construção, isto é, a peanha, de pedra calcária. De resto, todo o restauro é de cimento.

No lugar da Póvoa do Carreiro, existe uma pequena capela particular, reconstruída há pouco, da invocação de Nossa Senhora de Monserrate. Foi feita por Narciso Ferreira dos Santos, em cumprimento de uma promessa.

No lugar do Passadouro, foi construída pelo povo que aí habita, amigos e emigrantes, em 1980, uma capela dedicada a S. José que se venera a 19 de Março, e a Nossa Senhora dos Emigrantes (na fachada tem a palavra Imigrantes), celebrada no primeiro domingo de Agosto.

O Padre Domingos Rebelo não regista as invocações de Nossa Senhora do Livramento, de Nossa Senhora de Monserrate e de Nossa Senhora dos Emigrantes, correspondentes a estas últimas capelas.

É de salientar um aspecto cultural da freguesia do Troviscal, que é o da fundação da chamada Banda Escolar do Troviscal, criada em 1911 pelo célebre professor José de Oliveira Pinto de Sousa, a qual de manteve até 1942. Foi esta Banda excepcionalmente afamada, pois, tendo-se gerado um conflito com a então Diocese de Coimbra, a partir do impedimento da sua participação em cerimónias de intenção religiosa, ele só viria a ser sanado por D. João Evangelista de Lima Vidal, Bispo da Diocese de Aveiro, então restaurada.

Nogueira Gonçalves registou a existência de uma casa antiga, perto a igreja, construída no século XVIII. Efectivamente, lá está, encontrando-se abandonada. Mas é digna de menção a entrada de pilastras e de abertura geminada no canto, bem como as vergas curvas das janelas.

A 13/III/1980, foi fundada a Associação Cultural, Recreativa, Beneficente e de Solidariedade Social do Troviscal (ARVISCAL) que já vai ultrapassando uma dezena de anos de existência e que, como o nome indica, abrange, em princípio, um vasto leque de actividades, não só para bem do povo da própria freguesia mas também para elevar o nome do Concelho de Oliveira do Bairro.

Tem-se observado um notável progresso com as obras de carácter social. Funcionam a Junta da Freguesia, Casa do Povo (com grupo de ginástica, grupo coral, filarmónica), Biblioteca e Posto Médico.

Tem, pois, grupo coral e de teatro e a sua Banda - União Filarmónica do Troviscal - constituída por jovens, vai dando nas vistas com as suas actuações.

Tem-se realizado também, com certo brilho, as Marchas dos Santos Populares.