autores do concelho de oliveira do bairro


AUTORES DO CONCELHO DE OLIVEIRA DO BAIRRO

Homenagem
Início

 


MUSEU S. PEDRO

ROTEIRO CULTURAL E
RELIGIOSO


DIOCESE DE AVEIRO

CULTURA BAIRRADINA

AUTORES DO CONCELHO DE OLIVEIRA DO BAIRRO

ARLINDO VICENTE

FORAL DE OLIVEIRA DO BAIRRO


LIGAÇÕES

 

Contacto
 

 

António de Cértima

Teve como nome de baptismo de António Augusto Gomes Cruzeiro, mas cedo adoptou só o de António de Cértima.

Nasceu a 27 de Julho de 1894, no lugar da Gesta, Freguesia de Oiã, Concelho de Oliveira do Bairro. Filho de António Francisco Cruzeiro e de Teresa Pereira Gomes.

Fez a instrução primária na sua terra natal, seguindo depois para o liceu de Aveiro.

Em 1915 ingressou no serviço militar, integrado nas campanhas de África, em Moçambique, terminando em 1918.

Após o seu regresso ao Continente Europeu continuou os seus estudos, terminando o curso de Direito e adquirindo conhecimentos de línguas estrangeiras, nomeadamente Francês, Espanhol, Inglês, Italiano e línguas árabes.

Ainda de tenra idade começa a escrever em jornais da região e em 1914, publica o seu primeiro livro "Marília", (uma peça de teatro).

Em 1925, ingressa na vida Diplomática, como Vice-cônsul no Suêz, onde da sua acção neste consulado pouco se sabe, terminando em 18 de Outubro de 1926, sendo nomeado nesta mesma data, Cônsul de Portugal em Dakar, onde permaneceu até à sua passagem para o consulado de Sevilha pela nomeação de 30 de Maio de 1932, onde permanece até à exoneração a seu pedido em 12 de Maio de 1949.

A sua acção diplomática distingue-se pela sua integração cultural na região e pelo empenhamento que teve em levar o nome de Portugal, não esquecendo o incentivo das exportações Portuguesas para aquelas regiões.

Aquando da sua permanência em Sevilha, que coincidiu com o período da guerra civil espanhola, foi notável o seu grande humanismo. A sua presença naqueles consulados, levou a que fosse considerado ao nível internacional como um grande Embaixador da Cultura Portuguesa e um diplomata de reconhecido valor internacional.

Deixou a Vida Diplomática em 1949 regressando a Portugal onde ingressou como gerente de uma empresa em Lisboa.

O seu conceito internacional levou a que continuasse a ser mediador de Portugal em situações que a governação Portuguesa sentisse necessitava.

Esteve sempre atento a vida Nacional e Internacional.

Enquanto novo e na Região da Bairrada, pertenceu à Plêiade Bairradina, grupo que integrava outros escritores e artistas desta região.

Foi sócio da Sociedade Portuguesa de Geografia.

Faleceu no Caramulo em 20 de Outubro de 1983.

Publicações do autor:

  • Marília - Quadro dramático, 1914;

  • Bodas de Vinho - Poemas, 1919;

  • Fado das Capas - Serenata do Amor, 1920;

  • Epopeia Maldita, (O drama da Guerra de África), 1924;

  • Volúpia do Mar - novela, 1925;

  • Legenda Dolorosa do Soldado Desconhecido de África, 1925;

  • Alma Encantadora do Chiado, 1927;

  • Jardim das Carícias - Poemas, 1928;

  • Discurso à Geração Lusitana, 1935;

  • Caminho de Siegfried - Poemas, 1936;

  • Canção das estradas de Estio - poema musicado, sem/data;

  • Bodas Helénicas - (É uma reedição do livro Bodas de Vinho), 1943;

  • Itinerário Sentimental de los Portugueses em Sevilha, 1944;

  • Vida Voluptuosa, contos e novelas, 1945;

  • Tu e o Teu Corpo - Poemas, 1946;

  • Sortilégio Senegalês, 1949;

  • Baladas de Sevilha em Primavera - Poemas;

  • Trópico de Câncer - Versos, 1949;

  • Colóquio com a Morte - Ensaio sobre a Semana Santa de Sevilha, 1951;

  • Sevilla em Portugal - Separata nº 47 do Arquivo Hispalense, 1951;

  • Sevilla y El Sentido de la Muerte - Separata nº 58 -59 do Arquivo Hispalense, 1953;

  • Aditamento ao 5º Milhar de Epopeia Maldita - (contem criticas à obra), sem/data;

  • Noticias de Anto e Purinha – António Nobre ou a Poesia sob o signo da Morte e do Amor, 1955;

  • Trajectória Sem Fim - Antologia poética, 1960;

  • Primeiro dia do Homem fora do Paraíso - Estudos, 1960;

  • Sevilha Noiva de Portugal - Estudo, 1963;

  • Doce França - Crónicas, 1963;

  • Escandalosamente Pura - Romance, 1966;

  • Nono, Não desejar a Mulher do Próximo - Contos, 1966;

  • Carisma de Fátima e a Teologia Islâmica, 1967;

  • Não Quero Ser Herói - Romance, 1970;

  • Soldado Volta - poética, 1970;

  • Epístola a Job - poética, 1970;

  • Soldado Desconhecido (pequeno panfleto que distribuiu), sem/data

Louvores e Condecorações:

  • 1918 - Medalha de Bons Serviços Militares - Atribuída por Portugal;

  • 1925 - Homenageado pelos seus dotes literários – Aveiro;

  • 1929 - Cavaleiro da Ordem L'Etoile Noire du Beni - Atribuída pelo Governo Francês;

  • 1931 - Louvado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, em nome do Governo pelos " Seus Patrióticos Serviços durante a revolta da Guiné" - Atribuída por Portugal;

  • 1932 - Cavaleiro da Ordem de Cristo - Atribuída por Portugal;

  • 1948 - Oficial da Academia (Palmas Académicas), "pelos Serviços prestados à causa Francesa"- Atribuída pela França;

  • 1951 - Moção de Louvor - à obra de António de Cértima (Colóquio com a Morte) - Atribuída pelo Município da Cidade de Sevilha;

  • 1951 - Comenda Afonso X o Sábio - Atribuída pelo Governo de Espanha;

  • 1951 - Comendador da Casa Real da Roménia, concedida pelo Rei Carol II da Roménia - Particular do Rei;

  • 1968 - Medalha de Membro da Academia Del Mediterrâne - Atribuída por Espanha;

  • 1969 - Comenda de Isabel a Católica - Atribuída pelo Governo de Espanha - Colaborou na imprensa periódica Nacional e Estrangeira.