PLÊIADE BAIRRADINA
  Introdução
  O Início
  O Fim
 
 


MUSEU S. PEDRO

PALHAÇA

ROTEIRO CULTURAL E
RELIGIOSO


DIOCESE DE AVEIRO

CULTURA BAIRRADINA

AUTORES DO CONCELHO DE OLIVEIRA DO BAIRRO

PLÊIADE BAIRRADINA

ARLINDO VICENTE

FORAL DE OLIVEIRA DO BAIRRO


LIGAÇÕES

 

Contacto
 

 

Introdução

 

Abordar a “Plêiade Bairradina” não tarefa fácil, sabemos que nasceu graças à dinâmica do Padre Acúrcio Correia da Silva, natural de Oliveira do Bairro. Homem com grande capacidade de incentivo e liderança, grande escritor e orador que à sua volta congregava outros com os mesmos interesses literários.
Foi após a sua ordenação sacerdotal em 1912 que esteve algum tempo sem paroquiar, tendo assim maior disponibilidade, que nos momentos livres de outros conterrâneos, com eles utilizavam o tempo em odes literárias.
Esse grupo pelos dados que dispomos era constituído por:

- Padre Acúrcio Correia da Silva
- Manuel Correia da Silva
- Ilídio Correia da Silva
- António de Cértima
- António Barata
- Francisco Rodrigues da Cruz
- Albano Cruz
- Horácio Seabra
- Rodrigues Pepino
- Alexandre do Amaral
- Américo de Andrade
- António Rodrigues Seabra

Estes jovens, escreviam poemas, contos e mesmo crónicas, alguns conseguiam que saíssem à luz publicados em jornais regionais, outros não saíam dos papeis em que escreviam e partilhavam entre si.
Chegaram mesmo a escrever dois jornais manuscritos que distribuíam gratuitamente pelas lojas da Vila de Oliveira do Bairro para aí poderem ser lidos pelos fregueses das mesmas.
Conhecemos hoje dois títulos desses jornais. “O Azeitona”, que saiu em 1908 e “Moscardos” que saiu o primeiro numero em 1913.

"O Azeitona"  "Moscardos"