PALHAÇA
  Introdução
  As Origens
  Paroquia de S. Pedro
  Feira
  Inicio de um Novo Ciclo
  Devoção Popular
  Instituções Religiosas
  Parocos, Padres e Religiosas
 Factos Religiosos em destaque
 
   


MUSEU S. PEDRO

PALHAÇA

ROTEIRO CULTURAL E
RELIGIOSO


DIOCESE DE AVEIRO

CULTURA BAIRRADINA

AUTORES DO CONCELHO DE OLIVEIRA DO BAIRRO

PLÊIADE BAIRRADINA

ARLINDO VICENTE

FORAL DE OLIVEIRA DO BAIRRO


LIGAÇÕES

 

Contacto
 

 

Devoção Popular

    A devoção popular está patente na variedade de imagens existentes nas igrejas e as que estão nas capelas particulares.
    A Representação de simbologia religiosa nas Igrejas da paróquia.
   O S. Pedro como padroeiro aparece-nos patenteado em duas esculturas, uma em pedra do séc. XV/XVI, que está neste momento na frontaria da igreja velha, terá sido possivelmente a primeira imagem do padroeiro na primitiva capela. A segunda escultura é de finais do séc. XVII, estando neste momento num dos altares laterais mas inicialmente estava no altar mor.
    S. Pedro que foi um dos apóstolos, aparece-nos com as vestes Papais.
Existe também uma tela do séc. XVIII, com a representação de S. Pedro.
   De S. Sebastião existem três esculturas. A primeira em pedra e é do séc. XVI, a segunda é em madeira e é do séc. XVII, a terceira representação é de 1945 sendo esta imagem a que está actualmente na igreja. S. Sebastião mantém-se como protector dos homens na guerra e na doença.
   A N.S.ª Senhora da Ajuda, teve a sua representação numa pequena escultura de roca do séc. XVIII, desta imagem existe apenas a cabeça e as mãos e está neste momento no museu, pois andou desaparecida e nem sequer existe na memória do povo, existindo apenas documentação escrita.
   Da Nsª. Senhora da Memória, existem três esculturas. Uma do séc. XVII, uma do séc. XVIII e uma da década de 40 deste século localizada num altar colateral.
   Esta senhora foi e é de grande devoção popular, permanecendo até aos dias de hoje as novenas. é tida como protectora da mulher, dando-lhe capacidade para educar os filhos principalmente no período de ausência dos maridos para a guerra.
   De S. Tomé existe uma pequena escultura em barro vermelho do séc. XIX, não há notícias de cerimonial próprio.
    De S. João existe também uma pequena imagem em barro vermelho do séc. XIX, contemporâneo de S. Tomé.
    De nossa Senhora da Dormição,está colocada por debaixo do altar das almas. É uma imagem de roca do séc. XVIII (1758). A esta imagem também lhe chamam de Senhora da boa morte. Por curiosidade refira-se que no dorso tem a referência a Srª da Agonia, titulo este porque na actualidade não é conhecida.

Um Património de Fé

Igreja Matriz
A actual igreja Matriz que foi benzida em 1964, é um templo de características modernas, no seu interior ao centro da capela Mor por cima do sacrário está um Cristo Crucificado de grandes dimensões, na nave principal, em recantos, dando a ideia de capelas laterais estão duas imagens, uma à direita a outra à esquerda, em madeira, uma do padroeiro S. Pedro a outra de Nsª Senhora.
Na entrada do templo do lado esquerdo na capela baptismal, está uma pintura de grandes dimensões representando o baptismo de Cristo, da autoria de Molina Sanchez.

Igreja Velha – Antiga igreja Matriz
Situada no lugar de Vila Nova, fruto de ampliações através dos tempos consoante as necessidades humanas, tem no seu interior um conjunto maioritário do séc. XVIII.
Na capela Mor, possui um altar do séc. XVIII , de um dos lados tem a imagem de Santo António do séc. XX e do outro uma de santa Teresinha também do mesmo século.
Na nave principal da igreja tem cinco altares. Os dois altares colaterais são em talha, do séc. XVIII, num sob a invocação de S. Sebastião tem as imagens de N. Srª da Conceição do séc. XX, Sagrado Coração de Jesus do séc. XX, S. Tomé do séc. XIX e S. João de Séc. XIX. Ao lado em mesa própria a imagem de N. Srª de Fátima. O outro altar colateral dedicado a N. Srª da Memória , tem a imagem desta, a de Stª Eufémia e a imagem do Cristo da Comunhão.
Um dos altares laterais é dedicado a S. Pedro o Padroeiro, sendo uma bela imagem do séc. XVII, por debaixo da mesa do altar e em espécie de túmulo, Cristo deposto de grandes dimensões. È ma peça do séc. XIX e tem braços articulados.
No outro altar lateral denominado de altar das Almas, tem no retábulo uma bela pintura sob esta invocação, por debaixo da mesa do altar uma imagem de Nossa Senhora Morta datada de 1758.
O Outro altar lateral que fica a meio da nave principal, tem uma imagem do Senhor da Cana Verde e de Nossa Senhora das Lágrimas, ambas do séc. XIX.

Capela dos Capões – Areeiro – particular
Fica localizada em frente à igreja Paroquial no lugar da Areeiro, construida no séc. XVIII, sob a invocação de Nossa Senhora do Rosário, a qual está representada na imagem principal desta capela. Tem também as imagens de S. José com o Menino e de Santa Ana com o menino.

Capela das Martinsas - Areeiro – particular
Localizada também no lugar do Areeiro, é uma capela de pequenas dimensões, no seu interior tem uma imagem de S. Miguel do séc. XVII.

Capela de Nossa Senhora do Livramento e Santa Eufêmia – Chousa - particular
O seu recheio também é recente e entre outras imagem tem as da invocação.

Senhor dos Aflitos – Areeiro de Cima – capela Particular
Tem no seu interior além de outras a imagem de Cristo Crucificado e de Nossa Senhora.

Nossa Senhora dos Remédios e Nossa Senhora do Bom Parto – Em frente da anterior – capela particular
De construção recente, tem as imagem das duas padroeiras.

Nossa Senhora dos Retornados – Albergue – capela particular
È ma pequena capela construída em consequência do regresso dos Portugueses do ex-Ultramr Português.
No seu interior uma imagem da Virgem com o menino ao colo e na base uma mala de viagem .

Capela das Almas - Roque – particular
Mandada construir pelo padre Henrique Simões Capão, por promessa. No seu interior existia um belo painel das Almas, e a imagem de Santo António. O Painel das Almas foi roubado.